quinta-feira, 6 de março de 2014

E daí, a Mi já come???

Final de semana passado, eu ainda com a saga da alimentação da Mi, tentei dar alguns alimentos mais doces para ela provar, já que ela come bem as frutas.
Cozinhei uma cenoura, amassei parte dela e a outra dei na mão dela para ela ir provando, brincando, amassando ou jogando no chão (uma fofa). Ela fez tudo isso, inclusive deu umas mordidinhas. No entanto, na colher, não rolou muita emoção. Nada feito!

A Sogra estava acompanhando e sugeriu dar feijão. Eu disse que não, que se nem verduras ela tinha começado a comer, eu achava que ainda era cedo demais. Mesmo ela contestando que a Mi ia fazer 9 meses, achei que não era hora.

No domingo tentei batata salsa, e nem pegar na mão ela quis, quem dirá comer na colher. Sei que fiquei irritada, estressada e louca com essa situação, e o pior, que não é algo que eu possa simplesmente largar os bets e não insistir mais. Já fazem mais de 2 meses nessa briga, e nenhum progresso. Não sei como fazem na escola, mas tenho certeza que essa briga é mais minha que de qualquer outra pessoa, ninguém vai ter a mesma paciência e determinação que eu nessa guerra. Então, não posso desistir.

Ontem trabalhei desde cedo, Marido idem. Escolas fechadas e as crianças ficaram com a Sogra. Eis que ela me liga perto do meio dia. “A Milena comeu feijão com arroz. Adorou.” Quase morri.
Fiquei meio assim, pois poxa, eu disse que não ia iniciar com o  feijão, nem sei a opinião do pediatra (ela tem consulta hoje), mas me deu um certo alivio em pensar que alguma coisa foi. Segundo ela, ela abria a boquinha, e comeu algumas colheradas.

Levei uma porção e dei um pouco no jantar. Ela comeu umas 3 colheradas na boa, e mais umas 3 comigo fazendo malabarismos, mas foi o recorde dela. Valeu. 
Agora, é uma pena, uma droga mesmo em ver que a sogra, querida, deu o feijão que ela fez para o almoço, ou seja, temperado e com sal. Ela não entende e nem concorda que crianças não precisam de sal (ou açúcar, ou engrossar leite, ou, ou, ou...). Mas vamos abstrair essa parte e vamos tentar corrigir isso na sequencia.

Mas fiquei feliz em ver uma luz no fim do túnel. Vou cozinhar hoje um feijãozinho pra ela, e ver o que consigo!

E vou ver com o pediatra hoje o que ele orienta! Rezemos...



Beijinhos pensando num feijão fresquinho.... hummmmm

3 comentários:

disse...

E o caldinho do feijão? Não lembro quando introduzi o grão do feijão exatamente, mas o caldinho sei que foi bem antes.

Lembro que eu fazia uma sopona com legume, arroz integral e legumes pra Rafaela. Deixava bastante na pressão para amolecer bem e depois amassava tudo bem grosso. Não passava na peneira, ela aprendeu a mastigar rapidinho com isso.

Ahhh, as sogras. Que ódio.

Beijocas e boa sorte.

Fer disse...

Então Ju. Ontem o Pedi autorizou o feijão propriamente dito também. Falei na escola para dar o caldinho. Vamos ver o progresso. Ontem já cozinhei feijão para começar a tentar dar para ela.
Rezemos!!!!
Beijos,
Fer

Daiane Oliveira disse...

Desculpa mas o pediatra da minha pequena que já fez 5 aninhos, me disse que podia sim fazer um cozidão na panela de pressão com uma carne, um legume, uma folha verde, cebola bem picadinha, alho, tomate, um fiozinho de óleo e sim um pouquinho de sal, pra estimular o paladar do nenem, ninguém merece comer uma comida sem tempero, mesmo porque, o que ela vai comer quando crescer? Depois de cozido eu passava na peneira, nada de liquidificador (pra sentir uns pedacinhos da comida e estimular a mastigação). Nessa ela comia figado, cara, mandioquinha, couve, tudo que vc possa imaginar e cresceu saudavel e sabendo que tem que experimentar primeiro antes de dizer que não gosta. As vezes as sogras podem ajudar é só filtrar. Sorte ai com a sua piquerrucha, vai ver ela tem um paladar masi apurado.