quarta-feira, 30 de julho de 2014

13 meses de amor líquido

Na semana de 21 a 25/07, Milena desmamou. Eu desmamei, nós desmamamos.
Não queria eu tomar nenhuma atitude. Negar o peito. Queria ofertar enquanto eu tivesse, ou até que ela se desinteressasse. E isso ocorreu. Ou quase isso.


Olhos nos olhos.


Depois que ela completou 6 meses, e a amamentação não era mais exclusiva, e pelo fato de eu trabalhar, a produção diminuiu bastante. Eu dava peito para ela de manhã (ou de madrugada), e antes dela dormir, no banho. Essa foi nossa rotina desde os 6 meses.
No entanto, nos últimos meses, não raro eu chegar em casa e ela já estar dormindo. Ou pela manhã, ela mais se preocupava em ver a movimentação da casa e deixava o peito de lado. Com isso, a minha produção caiu, ou parou.
Não insisti mais, e quando ela procurou na semana passada ela sugou alguns segundos, foi para o outro peito, fez o mesmo e desistiu. O que me levou a crer que não tinha mais nada ali. Além disso, eu passava mais de 1 dia sem dar o peito e não sentia ele cheio ou pesado.
Durante o banho, que era quando ela mais procurava, ela só pediu no dia 26/07. Sugou um pouco um, outro, e desistiu. No dia 27/07, procurou, mas a distraí e ela logo esqueceu.
Estou na ultima semana com o Cerazette, e retorno a minha pílula habitual na semana seguinte. Caso ela procure essa semana, tentarei distraí-la. Caso ela insista, darei. Mas como sei que não tem mais nada, naturalmente ela desiste e se conscientiza que não tem mais nada aqui... rs
Preciso retornar com a pílula anterior pois tenho um problema hormonal tenso, que me dá espinhas aos montes, e só a pílula dá jeito.

Como estou me sentindo:
Sinto que cumpri meu dever. Que dei o meu peito e meu amor liquido à ela enquanto meu corpo conseguiu produzir e em momento algum neguei isso a ela. Que nosso desmame foi natural e sem traumas.
Desde que ela nasceu, era algo que me atormentava pensar em como seria esse final. Seria minha ultima jornada com a amamentação. E queria curtir até a ultima gota. Marido me apoiou e fui com fé, até que ela não quisesse mais. Confesso que fiquei com medo de vê-la aos 12 anos no peito (hahaha), mas estava disposta até a isso.
Foi mais tranquilo do que eu esperava, para mim e para ela.  Sentirei muitas saudades das mãozinhas dela na minha cintura, dela tentando colocar o dedo na minha boca, dos banhos demorados, e dela comigo mamando nas madrugadas frias, do seu rostinho encostado na minha pele, da sensação de ter um bebê nos braços.
Mas sigo tranquila, sabendo que curtimos nosso momento de intimidade e de união, até que meu corpo determinasse o inicio de um novo ciclo. E foram lindos 13 meses.

Te amo filha. Muito, muito obrigada por viver comigo esse momento. De fecharmos juntas mais um ciclo, e iniciarmos outro. Cheio de inícios, novas experiências e muito amor.

Te amo demais!

Mamãe.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Depois de 4 meses... a bebe vira uma mini mocinha!

Nesses 4 meses, muita coisa aconteceu. A Mi já é uma mocinha com mais de 1 ano, já come bem, e está quase andando.
Não toma suco nem por decreto. AMA comer pão. Não sei se ela conheceu a iguaria na escola, mas é só ver alguém com o dito cujo na mão que ela pede incessantemente. Pode ser o francês ou o integral fatiado.
- Fala Papai fluentemente, mamãe só quando quer.
- Auau foi a primeira palavra 'entendível'.
- Áua (água) serve ara água e mamá.... Já disse mamá, mas esqueceu... rsrs.
- Fala ‘papá’ quando convém.
- Ú = Dudu.
- Má = ‘me dá’ ou ‘meu’.
- Neném = bonecas, bebês, crianças e ela mesma.
- Popó =  a própria (Galinha Pintadinha).



Ela é bagunceira, faceira, palhacinha, amorosa, dengosa, geniosa.
- Dança com qualquer musica e até com algum barulho ritmado. Esses dias estavam serrando alumínio e a fofa começou a dançar. Uma figura!
- Se é contrariada faz birra e se joga no chão e fica fazendo dengo.
- Adora fingir que caiu só para soltarmos um “oh... tadinha, caiu no chão” e fazermos massagem nas costas (e ela fica lá, estatelada por longos minutos.)
- Fica piscando os olhos para seduzir. Se quer chamar a atenção de alguém começa com o charme. É uma graça!
- Já sente vergonha e coloca a mãozinha em frente aos olhos, ou coça a orelha.
- Detesta qualquer coisa na cabeça ou cabelo.
- Pega qualquer objeto e leva à orelha e fala “ô”.
- Ama de paixão celulares e tablets. E ‘ela’ tem que mexer. Já destrava e escolhe o que quer ver.

Cada dia é uma novidade, e me sinto mais encantada com essa mocinha.


E parece que foi ontem que conheci essa pessoinha tão linda e apaixonante!

quarta-feira, 12 de março de 2014

Agora sim!!! =D

Então a Mi comeu!!!! Finalmente...

Então, falei com o pediatra e ele disse que estava tudo liberado. Desde que a comida fosse natureba.
Fiz um caldinho de feijão com legumes, e nada. Muita insistência para a mocinha abrir a boca, mas ao menos não dava ânsia. Final de semana, sem maiores avanços.
O pediatra falou que era para ir tentando, mas seu neuras para não causar nela repulsa por comida. Tentar, mas de uma maneira light. Receitou complexo B e complemento de ferro, já que só o leite não forneceria o suficiente para ela.

E eis que na segunda-feira a dona da escola falou com o Marido (que busca a Mi na escola) que fizeram polenta com caldinho de feijão e ela mandou ver. Nada de forçado, ela que abria a boquinha e acabou comendo tudinho. E Na jantinha, mandou mais um prato de sopinha de legumes.

Fiquei MUITO feliz. Era algo que estava me consumindo. A hora das refeições era um momento que dava vontade de fazer prato e talher voar, de tão frustrante que era. Agora foi! Passado... rsrs

No mais, na consulta dele, tudo certinho. A Mi é pequena, na ultima consulta estava 4cm abaixo da média, e 1,4kg abaixo do peso médio. Nessa, ela está com 1,8kg abaixo do peso médio (manteve o mesmo peso do mês passado), mas em compensação, ela cresceu 4cm, ficando somente 2cm abaixo da média. Ele disse que nesse ritmo ela recupera a altura e, facilmente, fica acima da média.
O Dudu sempre foi magrelo e comprido. Tem altura acima da média. Ela era minha preocupação, pois é petitica e magrinha. Essa ‘esticada’ dela me deixou bastante animada. Não me importo que ela esteja ou fique magrinha. Bebe gordinho não é sinônimo de saúde.

Agora é acompanhar os avanços da minha mocinha. Está se apoiando nas mãozinhas quando de bruços, e acredito que até os 10 meses já temos uma pessoinha engatinhando pela casa.... ownnnn...


Beijinhos com sabor de polenta! Um viva à polentaaaaaaaaaaaaaaa \0/