quarta-feira, 30 de julho de 2014

13 meses de amor líquido

Na semana de 21 a 25/07, Milena desmamou. Eu desmamei, nós desmamamos.
Não queria eu tomar nenhuma atitude. Negar o peito. Queria ofertar enquanto eu tivesse, ou até que ela se desinteressasse. E isso ocorreu. Ou quase isso.


Olhos nos olhos.


Depois que ela completou 6 meses, e a amamentação não era mais exclusiva, e pelo fato de eu trabalhar, a produção diminuiu bastante. Eu dava peito para ela de manhã (ou de madrugada), e antes dela dormir, no banho. Essa foi nossa rotina desde os 6 meses.
No entanto, nos últimos meses, não raro eu chegar em casa e ela já estar dormindo. Ou pela manhã, ela mais se preocupava em ver a movimentação da casa e deixava o peito de lado. Com isso, a minha produção caiu, ou parou.
Não insisti mais, e quando ela procurou na semana passada ela sugou alguns segundos, foi para o outro peito, fez o mesmo e desistiu. O que me levou a crer que não tinha mais nada ali. Além disso, eu passava mais de 1 dia sem dar o peito e não sentia ele cheio ou pesado.
Durante o banho, que era quando ela mais procurava, ela só pediu no dia 26/07. Sugou um pouco um, outro, e desistiu. No dia 27/07, procurou, mas a distraí e ela logo esqueceu.
Estou na ultima semana com o Cerazette, e retorno a minha pílula habitual na semana seguinte. Caso ela procure essa semana, tentarei distraí-la. Caso ela insista, darei. Mas como sei que não tem mais nada, naturalmente ela desiste e se conscientiza que não tem mais nada aqui... rs
Preciso retornar com a pílula anterior pois tenho um problema hormonal tenso, que me dá espinhas aos montes, e só a pílula dá jeito.

Como estou me sentindo:
Sinto que cumpri meu dever. Que dei o meu peito e meu amor liquido à ela enquanto meu corpo conseguiu produzir e em momento algum neguei isso a ela. Que nosso desmame foi natural e sem traumas.
Desde que ela nasceu, era algo que me atormentava pensar em como seria esse final. Seria minha ultima jornada com a amamentação. E queria curtir até a ultima gota. Marido me apoiou e fui com fé, até que ela não quisesse mais. Confesso que fiquei com medo de vê-la aos 12 anos no peito (hahaha), mas estava disposta até a isso.
Foi mais tranquilo do que eu esperava, para mim e para ela.  Sentirei muitas saudades das mãozinhas dela na minha cintura, dela tentando colocar o dedo na minha boca, dos banhos demorados, e dela comigo mamando nas madrugadas frias, do seu rostinho encostado na minha pele, da sensação de ter um bebê nos braços.
Mas sigo tranquila, sabendo que curtimos nosso momento de intimidade e de união, até que meu corpo determinasse o inicio de um novo ciclo. E foram lindos 13 meses.

Te amo filha. Muito, muito obrigada por viver comigo esse momento. De fecharmos juntas mais um ciclo, e iniciarmos outro. Cheio de inícios, novas experiências e muito amor.

Te amo demais!

Mamãe.

3 comentários:

Thais Pereira disse...

Oi Fer,
Que post mais lindo!
E que bom que foi tudo como você queria e que o fim foi tão tranquilo para vocês :)
Sou super a favor da amamentação e imagino que seja uma sensação unica na vida
Beijos

http://decorandoetal.blogspot.com.br/

# ESPAÇO LADY ELAINE # disse...

Olá....

que espaço lindo me encantei...
te seguindo...vim fazer uma visita
e acabei ficando..posso...
boa semana.....Abraços !

Luciana Ramos disse...

Lindo! :)